EXPLORANDO A JUSTIÇA RESTAURATIVA: ANÁLISE, PERSPECTIVAS E EXPERIÊNCIAS DE PSICÓLOGOS(AS) NO SISTEMA JURÍDICO

Autores

  • Nágela de Jesus Colaço Gomes Ferreira Brand Psicóloga e Terapeuta Cognitivo-Comportamental, formada pela UniGuairacá
  • Jaqueline Puquevis de Souza UniGuairacá

Palavras-chave:

Prática Psicológica, Justiça Restaurativa, Psicologia Jurídica

Resumo


A Justiça Restaurativa (JR) no Brasil tem ganhado cada vez mais espaços, oferecendo um ambiente de escuta dentro do judiciário. Para a Psicologia Jurídica, a JR é um recurso que pode gerar autonomia e resolução de conflitos para os sujeitos envolvidos. Este estudo analisou as práticas e contribuições da JR por meio de revisões de literatura, e buscou compreender as atuações e perspectivas de psicólogos(as) operantes direta ou indiretamente no âmbito judiciário. Para isto, utilizou-se a pesquisa qualitativa com análise de discurso destes profissionais, tendo como instrumento a entrevista semiestruturada. Os resultados demonstram que o papel do profissional de Psicologia é fundamental nas práticas restaurativas, facilitando a comunicação, promovendo autonomia, manejando as demandas e compreendendo os fenômenos grupais.

Downloads

Publicado

2024-03-28

Como Citar

Brand, N. de J. C. G. F. ., & de Souza, J. P. . (2024). EXPLORANDO A JUSTIÇA RESTAURATIVA: ANÁLISE, PERSPECTIVAS E EXPERIÊNCIAS DE PSICÓLOGOS(AS) NO SISTEMA JURÍDICO. Revista Voos Polidisciplinar, 20(1), 35–49. Recuperado de https://revistavoos.com.br/index.php/sistema/article/view/257

Edição

Seção

CADERNO DE CIÊNCIAS SOCIAIS & HUMANAS